Estou no VERMELHO, vendendo almoço para comprar a janta, vivendo no cheque especial, não sei mais o que fazer, fornecedores só à vista, e agora?

A primeira coisa a fazer é sentar, contar até 10 ou 100 se for preciso, se concentrar nesta leitura pois, de alguma forma, ela pode te ajudar a resolver estes e outros problemas financeiros, caso um destes tópicos (acima) seja o que está vivendo hoje.

Imagino, sinceramente, a sua sensação de desânimo, de frustação, de impotência, de insegurança, pois já acompanhei diversos empresários no Brasil com a mesma situação, algumas até pior, mas, graças a Deus e a atitudes do empresário, as mesmas foram sanadas, com o tempo, muito sacrifício, muita luta, perseverança, comprometimento e disciplina.

Não, não é fácil não. Te engaria se dissesse que tudo será resolvido com rapidez, de forma suave, sem enfrentar grandes desafios e muitos outros obstáculos que são vinculados a esta situação, inclusive vergonha e mal-estar perante a família e terceiros.

Provavelmente seu nome e o da empresa ficarão sujos (no SPC, cartório, fornecedores), poderá até ter algumas reclamações trabalhistas, e outras consequências advindas da sua má administração, e de situações e de atitudes que tomou no passado.

Desculpe, mas não tem meio termo. Você pode dizer que a culpa é do mercado, é culpa dos concorrentes, é culpa do governo, é culpa dos altos impostos, é culpa dos colaboradores, é culpa dos bancos e mais um monte de outras desculpas.

A verdade é que você PENSOU que sabia administrar uma empresa, mas na realidade, estava brincando de ser empresário, porque não se preparou nem um pouco para assumir tal responsabilidade e nem fazia ideia do que estava fazendo no início da realização do seu sonho.

Não soube contratar corretamente, não soube fazer a precificação dos seus produtos (e quando fez, a maioria foi, com certeza, com prejuízos), não soube organizar a empresa, não soube ser líder, não soube controlar a parte financeira, provavelmente gastou, até na sua pessoa física, mais do que devia, misturou dinheiro da empresa com o seu, não estipulou pró-labore, não sabia o seu ponto de equilíbrio, não tinha processos definidos e mais um monte de outras coisas.

Bom, qualquer que tenha sido a situação, a questão é: tem como resolver isso?

Com muita paciência, FÉ em Deus (muita oração) e mudanças de atitudes, é possível sim. Eu diria que no prazo de 1 (um) ano, a situação consiga se reverter e, então, a partir disso, você consiga ir se alavancando novamente para crescer e resolver o que faltar.

Sim, você conseguirá resolver apenas parte de tudo isso, dentro deste 1 (um) ano, e o restante virá com o tempo, com muito esforço, muito trabalho, e MUITO MAIS CONHECIMENTO.

O primeiro passo então é saber o MONTANTE da sua dívida, faça o levantamento de tudo o que deve:

  • Bancos e Financeiras, inclusive financiamentos, empréstimos, contas correntes, cartões de crédito, etc….
  • Colaboradores: levante a folha de pagamento, férias, 13º salário, FGTS, INSS, etc….
  • Fornecedores: faça uma listagem de todas os boletos, de cada fornecedor, com suas respectivas datas e valores
  • Conta à Pagar: contas de água, luz, internet, contador, materiais de limpeza, etc….

Uma vez que tenha tudo em mãos é hora que fazer uma outro levantamento:

  • Levante todo o seu ESTOQUE, mencionando a matéria prima, material auxiliar, tintas, peças e componentes, equipamentos de epi, material de consumo, etc…. mencionando quantidade, fornecedor, valor de compra (unitário e total) para que possamos saber o valor do INVENTÁRIO, e controlar o mesmo a partir disso.
  • Levante todo o seu imobilizado (da empresa): separando por tipos: móveis e utensílios, equipamentos de CPD (computadores e periféricos), máquinas e equipamentos (não se esqueça de nenhum), veículos, terrenos (se tiver) e imóvel (se tiver); coloque o valor ATUAL (de mercado, se fosse para vender hoje, qual seria o valor de venda).
  • Valor em banco (se tiver algum), dinheiro em caixa e valores a receber de clientes (separe o que for boleto e o que for recebíveis de vendas com cartões de crédito).
  • Agora faça o mesmo levantamento de BENS seu, particular, como: veículos, imóveis, etc… tudo o que pode VENDER (pelo valor de mercado também), contas em bancos, aplicações financeiras, reservas, etc….

Coloque tudo isso em uma planilha, faça uma ABA para as DÍVIDAS, que passará a ser chamar PASSIVO (compromissos e obrigações) e outra ABA para os seus direitos e bens, que passará a se chamar ATIVO.

Pronto, este é, digamos, o BALANÇO seu e da empresa.

Se o seu ATIVO é MAIOR do que o seu PASSIVO você AINDA está em uma situação ÓTIMA, pois poderá reverter a situação com um bom planejamento financeiro, mas, é lógico, terá que se desfazer de alguns bens materiais, para salvar a empresa e, consequentemente, todo o restante.

Se o seu PASSIVO é MAIOR do que seu ATIVO então a situação está realmente mais complicada pois, mesmo com venda de vários bens, a situação ainda não se resolverá.

Tanto faz uma forma ou outra o seu estilo de vida (e da sua família) vão ter que mudar. Tudo aquilo que você fazia (com sua família, principalmente) não será mais possível, tais como: convênio médico, convênio odontológico, restaurantes durante o mês, compras no shopping, brinquedos, manicure/pedicure/cabelo/maquiagem, roupas novas, passeios, cinema, e vários outros que puder cortar (por um tempo pelo menos) deverão ser excluídos da sua vida. Diminua o seu PRÓ-LABORE para o mínimo possível, alimentação básica (sem aqueles churrascos, de vez em quando) ou outros alimentos mais caros. Sem excessos! Pizza uma vez por mês!

Bom, resolvido esta parte da pessoa física (e família), vamos para a parte da empresa.

O primeiro passo é encontrar qual é o PONTO DE EQUILÍBRIO da sua empresa (entre em contato comigo que te enviarei gratuitamente, com um vídeo aula de orientação), pois este é o FATOR FUNDAMENTAL para termos ideia do QUANTO a empresa deve FATURAR para não LUCRAR nada e não TER PREJUÍZO algum, ou seja: LUCRO E PREJUÍZO ZERO. Neste cálculo você irá ESTIPULAR um valor (que considere razoável) para o pagamento de suas dívidas, considerando: fornecedores, impostos e bancos. Os colaboradores deverão ser pagos em primeiro lugar, na medida do possível, pois eles dependem disso para continuar sobrevivendo, até que a sua empresa e você estejam bem novamente. Creio que uma boa conversa com todos eles também fará a diferença, para te ajudarem neste sufoco que está passando no momento, afinal, estão no mesmo barco.

Este será o nosso ponto de partida, para iniciar o PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (e PLANO DE AÇÃO) para que saia desta situação constrangedora em que se encontra.

Na empresa, depois de levantar o passivo com bancos e financeiras, marque uma reunião com o gerente, leve os dados em mãos, seja sincero, exponha o que está acontecendo e peça-lhe ajuda. O banco PREFERE te ajudar de alguma forma do que correr o risco de perder o que você já está devendo. Faça um parcelamento que você tenha condições de pagar, o mínimo mensal possível, para que não comprometa outras áreas.

Com os fornecedores ligue ou marque uma reunião também (se estiverem próximos), proceda da mesma forma, parcele o que já deve o máximo possível e procure garantir que continuem a te vender com prazo de 28 dias (se houver esta possibilidade).

Com os impostos não se preocupe de imediato, pode aguardar um pouco até que tenha condições de pedir um PARCELAMENTO (o seu contador poderá te orientar a respeito), exceto INSS que desconta do seu colaborador, esse você deverá RECOLHER o mais rápido possível pois se trata de APROPRIAÇÃO INDÉBITA e pode, em alguns casos, até dar processo criminal e você ser preso por isso. Todo o cuidado, nesta parte, é pouco. Faça isso o mais rápido possível, evitando maiores dissabores para o futuro.

Com relação à energia, água, contador, etc…. proceda da mesma forma, procure fazer um parcelamento amigável, dentro dos parâmetros que determinou no ponto de equilíbrio.

Uma vez que fez todas estas orientações é hora de REPENSAR a empresa, e como deverá proceder daqui para a frente.

Tente VENDER algum equipamento (que possa se desfazer rapidamente), ou REFINANCIAR algum veículo (inclusive o seu, pessoal, ou se desfazer do veículo da esposa, ou do filho), se tiver mais de um imóvel (apartamento na praia, chácara, sitio ou algo assim), VENDA o mais rápido possível (e nem se importe muito com o valor da venda, mesmo que tenha prejuízo), ou qualquer outro bem que possa se transformar em dinheiro nos próximos 120 (centro e vinte) dias, digamos assim. Isso será muito importante para que tenha CABEÇA para seguir adiante.

Mas não é, infelizmente, somente a parte FINANCEIRA que você deverá resolver, tem uma outra que é MUITO MAIS IMPORTANTE: o seu modo de agir, de pensar, suas atitudes, sua falta de conhecimento, sua falta de experiência, a consciência dos seus erros e tudo o mais.

Eu diria que mais importante do que a parte financeira é VOCÊ MESMO!!!

Afinal você pode tentar dizer que a CULPA, conforme disse lá em cima, é de todo mundo menos de você, é normal, faz parte do ser humano. O importante, AGORA, é reconhecer, com o coração e mente abertos, que o RESPONSÁVEL é VOCÊ MESMO, infelizmente.

E o que você vai fazer para mudar isso?

São suas atitudes, você vai ter que APRENDER a ter mais consciência do que FAZ, como FAZ, porque FAZ e tudo o que tem que FAZER.

O primeiro passo, neste sentido, é procurar alguém que possa te ajudar nesta caminhada, te orientar, te escutar, te ajudar com dicas e orientações que te ajudem a sair desta situação. Terá que aprender que administrar uma empresa não é apenas sentar na cadeira e ficar olhando o pessoal trabalhar, ou sair para vender, receber o dinheiro da venda e já sair gastando com o que deseja, mesmo que seja para realizar um sonho, isso terá que esperar.

Suas atitudes, daqui para a frente, terão que ser PENSADAS, ANALISADAS, ESTUDADAS meticulosamente, para que nada saia errado.

Terá que aprender a PRECIFICAR corretamente, a LER o Balancete / Balanço da empresa, a CONTRATAR colaboradores aptos e capacitados para o seu negócio, a VENDER corretamente (e para isso deverá criar vários controles e documentos para aumentar suas vendas), a PRODUZIR corretamente (SEM RETRABALHOS ou REFAÇÃO, com uma organização especial na sua área de PRODUÇÃO), estudar e implantar o DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS, com um valor agregado maior, estabelecer as NORMAS E POLÍTICAS INTERNAS (inclusive de COMPRAS / VENDAS / FINANCEIRO / PESSOAL), implantar diversos CONTROLES GERENCIAIS que te ajudem e auxiliem na ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA para  que não erre novamente, são alguns PROCESSOS que terá que ter em mente e implantar na sua empresa.

Caso esta seja a sua situação, em um ou mais fatores que mencionei aqui, te sugiro que adquira, neste primeiro momento, o Ebook: comunicação visual 10.0, disponível no site https://organizesuaempresacv.com.br , no valor de R$ 100,00 (Cem reais) à vista, que é apenas SIMBÓLICO.

Este Ebook é complementado por BRINDES em valor superior a R$ 1.500,00 (Hum mil e Quinhentos Reais) pois este é o objetivo do mesmo: TRANSMITIR CONHECIMENTO para quem precisa, principalmente estando em uma má situação no momento.

Depois disso, caso queira resolver todo o restante e confia no meu conhecimento e experiência (33 anos como Consultor em Gestão Empresarial e 54 anos na área de Gestão), então visite o site https://mentordenegocios.com.br para conhecer as opções que tenho para você e sua empresa, garanto que vale a pena e vamos, JUNTOS, trilhar este caminho até o seu sucesso.

Se for essa a sua opção, saiba que eu tenho, em meus arquivos, todo o material que vai precisar utilizar (e implantar) na sua empresa, para controlar gerencialmente tudo o que precisa, todas as planilhas necessárias para todos os departamentos e mais de 5.000 documentos/modelos para que a sua NOVA ADMIINISTRAÇÃO passe a se tornar uma REALIDADE na sua vida!

Fico à disposição

Wilson Giglio

CONSULTOR EM GESTÃO EMPRESARIAL

ORGANIZADOR DE EMPRESAS E EQUIPES

CONSULTOR DE PROCESSOS ISO 9001

SKYPE: wilson.giglio1

WHATSAPP: (11) 9.1218.1790 (somente texto)